Lutas das mulheres é tema de formação no Grupo Ruas e Praças

Luta das Mulheres 03O Grupo Ruas e Praças, por meio do Projeto Famílias Exercendo Cidadania, realizou nesta terça-feira (26), uma roda de diálogos com mulheres que moram nas comunidades de Água Fria, Coque, Cordeiro e Santo Amaro, localizadas no Recife. Em alusão ao mês de março, o tema escolhido foi “Gênero: uma busca por igualdade”.

Durante a ocasião, as mulheres tiveram a oportunidade de discutir a relação que existe entre natureza humana versus cultura sob a ética do gênero. Para provocar a reflexão, a assistente social Clarissa Alcântara abordou estatísticas sobre o feminicídio, apresentou a história do feminismo e traçou uma linha do tempo com as conquistas sociais que foram alcançadas por meio da luta feminina, como direito ao voto, Licença Maternidade, entre outras.

Luta das Mulheres ? tema de forma??o no Grupo Ruas e Pra?asSegundo a dona de casa Maria das Neves Silva, 55 anos, que participa há pouco tempo das formações, o encontro foi muito importante para construir um novo entendimento e adotar novas posturas. “Momentos como esse nos fortalecem e nós, mulheres, precisamos nos unir cada vez mais, não para ser melhor do que os homens, mas para conquistar o respeito que cada um tem direito”, argumentou.

De acordo com a coordenadora do projeto, Neide Silva, é notório a evolução de conscientização que as mulheres estão adquirindo com as formações. “É perceptível um amadurecimento na forma como elas têm olhado para diversos assuntos, mas o avanço não está só na compreensão, mas principalmente na postura de cada uma. Este é um trabalho de formiguinha e que, aos poucos, iremos conseguir desmitificar o que foi cultivado de forma negativa nelas durante tantos anos”, afirmou.

Para reforçar essa nova cultura de consciência, os mesmos conteúdos que são abordados com as mães também é discutido com os filhos que fazem parte do projeto que trabalha com crianças e adolescentes que se encontram em situação de rua e/ou vulnerabilidade social. O Grupo Ruas e Praças tem o empoderamento feminino como uma bandeira de luta, por isso as discussões sobre gênero não são restritas ao mês de março, mas prosseguem durante todo o ano, por meio das ações realizadas.

Por Lidiane Santos | Assessoria de Comunicação do Grupo Ruas e Praças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *